beezita (beezita) wrote in fics_de_bandas,
beezita
beezita
fics_de_bandas

Título: O garoto da Starbucks
Autor: beezita
Beta-reader: Ariel
Casal: Pierre/David
Gênero: Slash
Censura: Livre
Disclaimer: Fic inspirada numa cena do filme Quando um Homem Ama uma Mulher, com a Meg Ryan e com o Andy Garcia. Fora isso tudo é coincidência. Nada disso aconteceu, os personagens, o restaurante Fresco e o café Starbucks não me pertencem(senão eu seria milionária).
Teaser: "Uma gargalhada me tirou dos meus pensamentos. Levantei os olhos na direção de onde tinha vindo o som, claro que foi do balcão. O senhor continuava suas investidas frustradas no garoto, que apenas ria com gosto, contornado seu braço pelos ombros dele."



Eu entrei no pequeno café retirando os flocos de neve que estavam no meu cabelo. Desfiz-me do meu agasalho entregando-o à recepcionista e me dirigi a uma mesa no canto ao lado da lareira. Aqui tinha uma boa visão de toda a loja, principalmente do balcão.

Ergui a mão chamando a garçonete para retirar o meu pedido. Quando o fiz, a luz fraca do sol que entrava pela janela refletiu no metal prateado que adornava meu dedo fazendo-o brilhar.

Pensei no meu casamento de, exatamente, um ano atrás. Uma cerimônia perfeita; todos os amigos presentes, família sorridente, tudo conforme tínhamos planejado.

A garçonete chegou ao meu lado com seu bloquinho em mãos e pronta pra escrever. Sorri novamente e pedi meu café preto. Ela pediu licença e foi para trás do balcão fazer seu serviço. Eu? Eu comecei a inspecionar o local.

Não demorou dez segundos, eu avistei uma criatura de traços tão delicados e femininos, mas ainda assim deixando claro de que se tratava de um homem, sentado no balcão. Seus cabelos descolorados e cortados num penteado da moda combinavam perfeitamente com seu rosto. E em seus lábios bem desenhados se formava um sorriso ao perceber que estava sendo observado. Não por mim, mas pela pessoa que estava sentada ao seu lado.

Reparei no homem de meia idade que acabou de se aproximar dele falando, com certeza, mais uma das cantadas xulas de que o outro obviamente já estava acostumado a ouvir.

Girei a minha aliança no dedo, fitando-a. Meu marido dissera para preparar a noite de hoje para que fosse bem especial. Comemorações de aniversários do relacionamento sempre foram importantes para ele, então logo terei que ir embora e avisá-lo sobre o que reservei para hoje.

Uma gargalhada me tirou dos meus pensamentos. Levantei os olhos na direção de onde tinha vindo o som, claro que foi do balcão. O senhor continuava suas investidas frustradas no garoto, que apenas ria com gosto, contornado seu braço pelos ombros dele.

Ele se afastou ainda rindo e tomou um gole do que bebia. Bom, aquele senhor que me desculpe, mas agora é a minha vez. Levantei-me e andei até ele, fazendo antes a nota mental de que deveria avisar ao meu marido que o jantar era às dezoito horas.

Aproximei-me sorrindo, o que me fez ganhar um olhar raivoso do mais velho por atrapalhar suas investidas, e um sorriso malicioso do mais novo, que me avaliou dos pés a cabeça com seus olhos delineados por um traço preto. Posicionei-me entre os dois, encarando o loiro.
 -Pois não?- ele quebrou o silêncio.
-Vi este senhor distribuir cantadas fracas sem sucesso. Queria saber se poderia tentar também. - levantei o canto esquerdo do lábio numa espécie de sorriso.
-Ei! Vai procurar outro, este eu já estou tentando!- o homem atrás de mim cutucou as minhas costas com raiva.

Virei somente a cabeça pra olhá-lo antes de responder.
-Desculpe, mas ele não parece interessado.
-Não estou mesmo. - o garoto respondeu tranquilamente - mas vejo que usa aliança. É casado?
-Sou, isso te incomoda?
-Nem um pouco. - ele respondeu passando a língua pelos lábios.

Posicionei-me no meio das suas pernas, e o beijei profundamente, envolvendo meus braços em sua cintura. Senti seus braços se enroscarem no meu pescoço e seus dedos acariciarem a minha nuca. O “galanteador fracassado” bufava em misto de inveja e ódio.
-Vê se pode! Além de roubar o pretendente de outra pessoa, é um infiel. - ele deu uma pausa. - o pior de tudo é que o outro é igual, pois usa aliança também. - ele murmurou nervosamente.

Olhamos para ele com os lábios vermelhos do beijo, varias pessoas nos observavam, agora que o senhor ainda insistia em chamar a atenção para si nos chamando de infiéis, e de vagabundos baratos. Voltei minha atenção para o garoto que tinha acabado de beijar e acariciei sua face.
-Quase esqueci de falar - disse rápido. - O jantar é às dezoito horas David, no Fresco.
-Perfeito! Feliz aniversário de casamento Pierre.
-Pra você também meu amor, te amo.
-Também te amo.

Trocamos mais um beijo e saímos abraçados sob o olhar espantado do abusado que deu em cima do meu marido.


Subscribe
  • Post a new comment

    Error

    default userpic
    When you submit the form an invisible reCAPTCHA check will be performed.
    You must follow the Privacy Policy and Google Terms of use.
  • 1 comment